O que fazer em casos de alienação parental?

Última Atualização:
August 12, 2021

Tem dúvidas a respeito de alienação parental? Saiba mais a respeito disso!

A alienação parental é um tema muito divulgado nas mídias sociais, e está constantemente em tópico. 


Mas você realmente sabe o que é a alienação parental e quais são as consequências que ela pode causar no desenvolvimento da criança e do adolescente?



O que é a alienação parental?


A psicologia denomina como Síndrome de Alienação Parental uma situação que pode acontecer nas famílias, onde a criança ou adolescente é levada, através de várias maneiras e táticas de manipulação, a cortar quaisquer vínculos com um dos progenitores.


Além disso, ao contrário do se imagina, não são apenas ex cônjuges que podem praticar a alienação parental, mas também qualquer pessoa que tenha alguma autoridade sobre essa criança.


Por ser um dos principais temas do Direito da Família, em 2010 foi sancionada a Lei 12.318, que trata diretamente sobre o assunto.


De acordo com a lei, tal ato fere um direito fundamental para a criança e adolescente, que é ter um convívio saudável e pacífico dentro da família e é constituído com um abuso moral.


Como identificar uma situação de alienação?

As crianças que sofrem com isso, tendem a demonstrar um comportamento típico, com sinais de ansiedade, nervosismo, agressividade, depressão e outros sintomas. 


Por isso, é recomendado que você sempre observe o comportamento dos pais, avós ou qualquer responsável, e fique atento a como eles interagem com as essas crianças, e como elas reagem a essa interação.


De acordo com a Lei 12.318, alguns comportamentos que dão forma a alienação parental são: 


  • induzir que a criança ou adolescente repudie o genitor; 
  • causar dificuldade para o genitor exercer a autoridade parental;
  •  trazer empecilhos para que a criança não tenha contato com o genitor, entre outros aspectos.

Quais são as consequências para o desenvolvimento das crianças e adolescentes?


Por ser caracterizado com um abuso, a alienação parental pode causar diversas consequências para o desenvolvimento de uma criança ou adolescente que estão submetidos a essa situação.


O estresse tóxico pode causar ansiedade, depressão, síndrome de pânico, sentimentos de culpa e medo e até mesmo promover dificuldades na aprendizagem.


Uma consequência ainda pior é o desenvolvimento da Síndrome de Alienação Parental, onde a criança passa a enxergar um dos genitores de forma muito pejorativa, sentindo até mesmo repulsa do pai.


Ou seja, essa prática é extremamente séria e prejudicial para um filho, e causa problemas que podem ser irreparáveis. 



O que fazer nesses casos?


Uma boa saída para evitar casos de alienação parental, é a guarda compartilhada. Esse tipo de guarda permite que a criança se relacione com ambos os genitores de forma equilibrada.


Contudo, se a guarda compartilhada não for possível, e for detectado a ocorrência da alienação, o primeiro passo a ser seguido é tentar uma conversa amigável com o alienador. Se isso não funcionar, contate imediatamente o seu advogado. 


A alienação parental é uma situação extremamente desgastante e pode trazer inúmeras consequências tanto para o filho quanto para o genitor que é excluído e difamado. Se você está passando por isso, não se cale e nem se intimide! A lei está do seu lado.


E nós podemos te ajudar! Traga sua situação até a gente e resolveremos para você de forma prática e segura!


O seu problema será nosso problema!


QUERO UMA CONSULTA